Carrinho 0
"LANÇAMENTO" Limitado de Páscoa da Coleção 2017 Pain Bénit Brioche (Fermentação Espontânea)

S.p.A. Pane

"LANÇAMENTO" Limitado de Páscoa da Coleção 2017 Pain Bénit Brioche (Fermentação Espontânea)

R$ 35,00

A Coleção deste ano tem os ares escandinavos como inspiração. Poucos sabem que a origem deste famoso pão tem nos assentamentos Vikings da Normandia seu berço. 

O primeiro brioche foi provavelmente criado pelos Vikings Normandos, que trouxeram sua própria raça de vacas para o norte da França. As vacas da Normandia, ainda de renome intercional para a sua manteiga, são famosas por produzir uma grande quantidade de creme. Na época os camponeses, muito por influencia escandinava, produziam uma forma de manteiga entre o que hoje conhecemos como manteiga e um queijo cremoso, fermentada pela falta de refrigeração. Na verdade, a raiz "brioche" raem francês antigo tem ligação direta com "brie", pois a manteiga daquela época não era muito diferente do famoso queijo francês. Assim o Brioche era parte integral da dieta dos camponeses humildes que o produziam, um pão comum, simples que utilizava a manteiga, na época considerada um subproduto da exploração leiteira, quase que unicamente por reaproveitamento do "creme fermentado" que seria jogado fora.

Isso mudou no século 16. A sede da Arquidiocese na Normandia, Catedral Rounen, precisava de uma nova torre em 1509. O arcebispo veio com um plano brilhante: a proibição de consumo deste "creme", a manteiga da Normandia durante a Quaresma. Esta proibição seria anulada frente ao pagamento de uma taxa de seis deniers. Assim, comer Manteiga tornou-se um símbolo de riqueza e poder, e por isso a manteiga começou a ser consumida em grandes quantidades pelos ricos durante a Quaresma (a torre mais tarde ficou conhecida como o Tour de Buerre). Brioche, feito com a manteiga indulgente, bem como ovos (que foram símbolos da ressurreição desde antes do Primeiro Concílio de Niceia), tornou-se um pão popular comido na Páscoa, o que logo tornou-se o Pão da Quaresma, ou o Pão da Páscoa. Com suas implicações e ligações religiosas, ele é o precursor da Dor Benit  (Pão Abençoado), que era o termo para um pão enriquecido com a manteiga indulgente, abençoado em uma igreja católica. Receitas para este pão doce eram muitas vezes intitulado "Dor Benit ou Brioche", como uma receita por François Pierre La Varenne em seu marco Le Cuisiner Francois de 1651. A prática da Dor Benit se espalhou para a província francófona  canadense de Quebec, introduzindo o Brioche à consciência dos padeiros internacionais.

Esse será portanto o nosso pão da Quaresma, de Páscoa mantendo os ares Escandinavos e Normandos da coleção S.p.A 2017. 

 

Características

Escala 0 a 5 (do menos intenso ao mais intenso) 


Compartilhar este produto


Mais desta coleção